10 dicas para ser um profissional inovador em qualquer área

Nos últimos tempos, tem se ouvido muito falar sobre a necessidade de inovação. Isso tem acontecido porque inovar é encontrar soluções estratégicas para a empresa antes que os problemas apareçam, assim o negócio se mantém competitivo.

Na prática, a ação de inovar representa aumento de faturamento, acesso a novos mercados, ampliação das margens de lucro, entre outros benefícios.

A necessidade de as empresas estarem em busca de inovação não é de hoje, o co-fundador da Sony Corporation, Akio Morita, já dizia que “inovação é fazermos melhor o que fazemos hoje, de forma que se torne obsoleto”.

A grande questão, no entanto, é como essa ação era vista no passado e como ela tem sido vista hoje. Anteriormente, a inovação estava voltada apenas para fora: novos produtos, novos negócios. Nos tempos atuais, porém, ela se volta para dentro: mais do que uma disciplina, inovar é um modo de operar, pensar e estar nas empresas.

Hoje, não temos total controle do resultado e consequência que uma ação pode gerar, portanto, se propor a inovar é justamente um convite para ocupar um lugar de vulnerabilidade, o lugar onde pode dar tudo errado, mas também o lugar onde pode dar tudo certo. Testar, ajustar e experimentar fazem parte do processo de inovar.

Para quem quer ser um profissional inovador, eu tenho algumas dicas:

  •  Não tenha pressa. A maturação de uma ideia pode levar tempo;
  •  O nascimento de uma nova ideia acontece quando rejeitamos ou reaproveitamos ideias antigas em novas combinações;
  •  Participe de projetos em grupos. Quem se isola, corre o risco de ficar preso a certos conceitos;
  •  Permita-se perder o foco de vez em quando e reserve um tempo na agenda para inovar. As ideias gostam de uma dose de dispersão;
  • As boas ideias são flexíveis e se adaptam a novos desafios;
  • Aprenda que um erro serve para “adubar o terreno” em que novas ideias surgirão;
  • É importante anotar tudo que inspirar você “sem compromisso”;
  •  Não se contente com a “primeira resposta”, tente encontrar mais de uma solução para cada questão;
  •  Não é preciso que sua inovação seja uma “super ideia”, muitas vezes pode ser uma nova aplicabilidade para algo que já existe;
  •  Busque sempre fazer parte da solução e não do problema.

Por Sofia Esteves, fundadora e presidente do conselho do Grupo DMRH